Curso online de emoção é poder (videocurso) com melhor preço

Vendido e entregue por Portal Educação Confira o preço diretamente no Portal Educação

Preço Especial

Este produto possui condições especiais, clique no botão abaixo e confira o preço diretamente na loja Portal Educação

Comprar Produto ir para loja agora!

Realize a compra deste produto com total segurança diretamente na loja Portal Educação.

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais!
Detalhes de curso online de emoção é poder (videocurso)

Melhore seus relacionamentos e aumente seus lucros na vida e nos negócios.

A arte de administrar as emoções é fundamental para a vida e para os negócios. Para relacionar-se bem e liderar equipes é preciso saber nos automotivar e motivar nossos colaboradores.

Pessoas que se relacionam bem são habilidosas no convívio com os outros e têm especial talento em identificar e respeitar as emoções de seus familiares, amigos e clientes. Coleção Cursos Light: Conteúdo rápido e simples para o seu dia-a-dia.

Turma disponível: 03/06/2015

Carga horária: 1 horas

Duração: 30 dias

Conteúdo do Curso

Apresentação Abertura Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 Capítulo 4 Capítulo 5 Capítulo 6

Ao adquirir este produto, você aceita o Termo de Uso do Portal Educação. Ofereça esse e outros cursos para seus colaboradores: Cursos para Empresas.

Não perca a oportunidade de comprar curso online de emoção é poder (videocurso) pelo melhor preço! Compre agora diretamente na loja Portal Educação com toda segurança

Quero ir à lojaComprar este produto


análise swot: o que é?

análise swot: o que é?

A análise Swot é uma análise realizada pelas empresas, complementar às Cinco Forças, é a análise SWOT. A sigla é composta pelas iniciais de Strenght (forças), Weakness (fraquezas), Oportunitties (oportunidades) e Threats (ameaças) e a análise considera não apenas o ambiente externo, mas também o interno (a empresa) e como o cruzamento dessas duas informações pode ajudar ou atrapalhar a empresa a conseguir seus objetivos. A análise do ambiente interno envolve as forças e as fraquezas, e o ambiente externo as oportunidades e as ameaças.Forças (strenght): Pode ser considerada uma Força da empresa tudo o que é de origem interna, ou seja, a empresa tem o controle e o poder de mudar, e ajuda a empresa a atingir suas metas. Exemplos de forças: tecnologia diferenciada, capital para investimento em propaganda, profissionais qualificados, marca forte no mercado. Fraquezas (weakness): Assim como a Força, uma Fraqueza tem origem interna - a empresa tem o controle e o poder de mudar, mas atrapalha a empresa a atingir suas metas. Exemplos de fraquezas: Comunicação interna deficiente, colaboradores que ficam pouco tempo na empresa, web site de difícil navegabilidade. Oportunidades (oportunitties): São consideradas oportunidades tudo o que é de origem externa à empresa - a empresa não tem o controle e não pode mudar, e pode ajudar, caso a empresa aproveite a oportunidade, a atingir suas metas. É uma oportunidade comum a todos e aconteceria mesmo se a sua empresa não existisse. Exemplos de oportunidades: Preço dos computadores diminuindo, aumento da população com acesso a internet de alta velocidade, crescimento da economia.Ameaças (threats): Assim como as oportunidades, têm origem externa - a empresa não tem o controle e não pode mudar e, caso a empresa não saiba como lidar, atrapalham a empresa a atingir suas metas. Também é uma ameaça comum e aconteceria mesmo se a sua empresa não existisse. Exemplos de ameaças: aprovação de lei que aplique alto imposto sobre produtos, crise econômica, surgimento de nova tecnologia. O passo a seguir é realizar os cruzamentos. Assim, deve ser perguntado: até que ponto as forças me permitem aproveitar as oportunidades e me defendem das ameaças e, até que ponto as fraquezas me limitam no aproveitamento das oportunidades e me deixam vulnerável às ameaças? As respostas encontradas servem de base para decisões estratégicas da empresa. Aparentemente fácil, a análise SWOT deve ser feita de maneira honesta, pois representa uma “fotografia” do momento em que a empresa se encontra e de como ela se encontra em relação ao mercado.




frequência da voz

frequência da voz

A frequência é determinada fisiologicamente pelo número de ciclos glóticos que as pregas vocais fazem em um segundo, ou seja, pela velocidade de vibração das pregas vocais. Pode ser classificada em: grave (grosso), médio ou agudo (fino). A frequência varia por toda a vida, de acordo com o sexo e faixa etária. Inicialmente bastante aguda nos bebês recém-nascidos, em torno de 440Hz, lentamente vai decrescendo, e aos três anos situa-se ao redor de 320Hz, até a pré-adolescência quando os valores médios variam em torno de 290Hz. Na adolescência a frequência fundamental sofre uma queda abrupta, particularmente no sexo masculino. Já no sexo feminino, as alterações, mais evidentes, ocorrem com o advento da menopausa, tornando a voz feminina mais grave. Deve-se destacar que a frequência tem relação direta com o comprimento, tensão, rigidez e massa das pregas vocais, portanto, uma pessoa que possui uma prega vocal curta, espessa e frouxa irá vibrar em uma velocidade mais lenta (tom mais grave) do que uma prega vocal longa, fina e tensa que produzirá um tom mais agudo. O aumento de altura relaciona-se diretamente com o alongamento das pregas vocais, com uma diminuição correspondente de massa e um aumento de elasticidade de tecido da prega. Abaixar a altura relaciona-se diretamente ao encurtamento das pregas. De forma geral vozes mais graves são preferidas no teleatendimento, pois passam maior segurança e confiabilidade ao cliente. Por isso, é tão importante que o teleoperador conheça estas estruturas anatômicas e fisiológicas para saber adequar à altura que a voz é emitida, evitando irritabilidade do ouvinte.




avaliação do fornecedor

avaliação do fornecedor

Constata-se que a avaliação de fontes potenciais e reais é um processo contínuo em departamentos de compras. As fontes reais com as quais se lida de maneira regular podem ser avaliadas amplamente em termos de desempenho. Atualmente, têm-se vários esquemas para a avaliação sistemática de fornecedores, os quais serão posteriormente aprofundados. Constata-se que o bom serviço prestado pelo fornecedor reduz a carga de trabalho do comprador, amplia a utilidade ou a disponibilidade do produto e diminui a incerteza associada à tomada de decisão sobre aquisições. Um dos itens que Fagundes (2010) destaca acerca da avaliação do fornecedor consiste na estabilidade financeira deste. Esta é uma das várias características do fornecedor não mencionada como “variável tarefa”, embora seja importante. Os compradores preferem que os fornecedores sejam razoavelmente rentáveis porque estão interessados em continuidade e em entrega pontual. Um fornecedor com problemas de fluxo de caixa terá dificuldade de pagar suas faturas e, consequentemente, obter materiais. Possivelmente, também terá problemas para entrega em datas previstas e para manutenção da qualidade de seus produtos. Uma administração adequada também se constitui como fator importante. Fornecedores bem administrados melhoram os métodos, reduzem os custos, desenvolvem produtos melhores, entregam pontualmente, têm menor número de produtos defeituosos e desenvolvem moral elevada em sua força de trabalho. Em muitas das situações, as instalações e o trabalho dos funcionários dos fornecedores potenciais são vistoriados por representantes técnicos e comerciais do comprador. Em algumas das situações, esse procedimento é eliminado conforme a reputação do fornecedor obtida por comunicação direta e por informações publicadas. Nas situações em que o estabelecimento de um fornecedor é visitado com o propósito de avaliação, a maioria dos compradores prepara antecipadamente um check list sobre o que deve ser vistoriado e anotado. Muitas empresas usam check lists extensos, com várias perguntas, procurando averiguar todas as situações da empresa. O fornecedor é avaliado também por produtos ou processos como aprovado totalmente, aprovado, aprovado condicionalmente ou desaprovado. As variações da abordagem de check list são vastas e mudanças e melhorias são incorporadas à medida que as necessidades da organização se modificam. Baily, Farmer, Jessop & Jones (2010) elencam algumas perguntas típicas de um check list: •Eles fazem negócios com nossos concorrentes? •Os documentos confidenciais são apropriadamente controlados? •O comprador tem apoio técnico? •Com que frequência pesquisam o mercado? •Há quanto tempo estão estabelecidos? •Quais seus planos de investimentos? Além destes itens, acrescentam-se: •Alocação dos custos indiretos se os custos de interrupções forem fornecidos; •A situação dos pedidos em carteira e o nome das pessoas com autoridade para tomar decisões sobre as datas de entrega; •O tipo de mão de obra disponível, a qual pode ser investigada por observação, por perguntas e, se necessário, por consulta ao órgão oficial de emprego local.




profissionais do século xxi

profissionais do século xxi

Mundo globalizado, transversalidade, multiculturas, falta de comprometimento e o despreparo dos jovens profissionais que estão chegando ao mercado de trabalho. Situação preocupante porque há vagas, mas poucos são os profissionais realmente preparados para atender às necessidades de uma empresa que visa o futuro numa competição acirrada. Segundo um estudo da Fundação Getúlio Vargas, a principal causa de abandono do ensino médio pelos jovens é a falta de perspectiva de vida. Tal pesquisa indica ainda que essa perda de interesse e confiança dos jovens estudantes surgiu a partir da educação de base, quando os conteúdos não apreendidos foram ficando mais complexos a cada aprovação, comprometendo a finalização do ensino médio e deixando cada vez mais longe o sonho de fazer uma universidade. Sabedores da importância da educação continuada, estes jovens se encontram enclausurados dentro de um sistema socioeconômico que beneficia aquele que teve a oportunidade de concluir um curso superior e capaz de competir de maneira desigual no exigente mercado de trabalho. As empresas estão exigindo competência e dedicação, e colaboradores capazes de transformar desafios em novas oportunidades. Para não correrem o risco de não mais conseguir colaboradores competentes e comprometidos, fazem de tudo para treinar jovens estagiários e moldá-los às exigências da empresa. Vários são os programas criados e os resultados não são totalmente atingidos. Parcerias são firmadas entre o poder público, assistentes sociais, ONGs, educadores, comunidades e sociedade, mas as propostas se perdem tamanha a burocracia e descaso. Em contrapartida, os sites educacionais oferecem a melhoria na educação dos jovens contribuindo para minimizar a desigualdade social. Variedades em cursos ofertados, voltados para o crescimento da aprendizagem e da construção do conhecimento acadêmico e profissional. A Educação a distância veio para aumentar as possibilidades de competitividade e a realização de um sonho, em poder no futuro concorrer em igualdade nos vestibulares, mercado de trabalho e em concursos públicos. Sem educação não dá pra competir nem ampliar os horizontes. Investir na carreira é de extrema importância. Muita leitura, dedicação, força de vontade, método, organização e desenvolvimento da autonomia são requisitos fundamentais e obrigatórios para o profissional do século XXI. "Em todas as coisas o sucesso depende de uma preparação prévia, e sem tal preparação o fracasso é certo". Confúcio Cláudia Branjão Bernardes - Coordenadora Técnico-Pedagógica UNOPAR - Diretora/sócio-proprietária da Ensina Mais Complemento Escolar - Unidade Ubá


O que você encontra no QueroBarato!

Milhões de produtos das melhores lojas

Maiores lojas do Brasil são mais 100 opções

Centenas de Cupons com ótimos descontos

Informações atualizadas de todos os produtos

Quer receber novidades, cupons e ofertas exclusivas?

subir

Pesquise no QueroBarato! e compre diretamente nas maiores lojas do Brasil